Debate IDforum: A Gestão da Identidade e a Carência de Profissionais - EP04

Extend Your ID

Apr 17 2023 • 57 mins

Em mais uma debate disponível em vídeo para a sua comunidade, O IDforum reuniu três profissionais dá área com a mediação do CEO da Netbr, André Facciolli. Desta vez, o centro da discussão é a carência de recursos humanos com massa crítica para lidar com temas como IAM, IGA, CIAM, PAM, DevOPS e novas derivações, tais como como identidades de máquinas, identidade em IoT e identidades robóticas. Os três convidados foram: o CISO Vinícius Brasileiro, líder em segurança estratégica da Globo; o Arquiteto de Identidade da Netbr Wanderley Rodrigues e o Analista de Gestão de Identidades Guilherme Fidelis, ambos da Netbr. De acordo com os debatedores, a disseminação da IAM e suas vertentes nas empresas ainda está numa fase apenas pós-inaugural principalmente no Brasil. A Identidade nasceu fora da área de segurança Até cinco ou seis anos atrás, concordam os especialistas, a gestão da identidade não estava nem sequer colocada sob o guarda-chuva da segurança. Ela se instalava, de forma apenas acessória, nas rotinas de gestão da infra operacional e era essencialmente marcada pelo caráter artesanal. Ou seja, a atribuição de credenciais era feita quase individualmente por um gestor, sem muita observância políticas de longo ciclo. Fazia-se um ticket de acesso quando era necessário introduzir um usuário no processo e, quando era preciso descontinuá-lo, isto também poderia levar dois, três dias, o que denota grande descontrole. Identidade como área autônoma e a falta de massa crítica Em um primeiro movimento evolutivo, a área gestão de identidade e acesso caminhou para ser abarcada dentro da rubrica “segurança”. Já foi um posso importante, uma vez que a segurança define um escopo muito mais definido e estratégico. Um dos problemas para continuar avançando é a falta de mão de obra especializada. Na Globo, por exemplo, a dificuldade é encontrar candidatos que tenham uma base mínima necessária para absorver treinamentos oferecidos pela empresa. A Globo, como muitas outras, procura apoiar universidades a formar especialistas com perfil para as doutrinas da Identidade e Acessos. Mas tudo ainda é incipiente. Agrupar as disciplinas de identidade e acesso sob a segurança trouxe mais foco para a questão e ajudou os profissionais experientes da área a ampliar sua cultura para entender atividades relativamente complexas como a governança, a autenticação e a autorização. No momento, podemos dizer que tais assuntos de identidade começam agora a se tornar ainda mais relevantes, tendendo a ser uma baia específica, correndo em paralelo e em integração com a segurança. Sob o escopo da Identidade e Acessos, começam a surgir novos elementos de articulação, como OpenID, Saml, CSIM, Oath2.0, CIBA e muito mais. Produzir profissionais com capacidade para absorver e avançar todos esses conhecimentos em todos os ramos de negócio. Este é um dos desafios apontados pelos debatedores neste encontro do IDforum.