03/03/2023 - Cenário da soja

BBCast Agro

Mar 3 2023 • 3 mins

Olá, hoje é sexta-feira, 03 de março de 2023, meu nome é Giuliano Pradela, Assessor de Agronegócios do Banco do Brasil em Chapecó SC e falaremos sobre o cenário da soja.

O contrato da soja na CBOT apresentou em 02/03, a cotação de US$14,94/bushel apresentando baixa nos últimos dias em relação a 1ª quinzena de fevereiro, com queda em torno de 3,50%. Os principais fundamentos para o movimento baixista são a evolução da colheita e o baixo índice de comercialização antecipada no Brasil, comparativamente com as médias históricas.

No Brasil, o indicador da soja Esalq/BMF/BOVESPA, em 01/03, foi cotado a R$ 168,75 a saca, apresentando baixa de 2,9% em relação ao início de fevereiro. Os prêmios nos portos para março/23 estão variando entre US$ -0,04 a US$ 0,04/Bushel em Paranaguá e refletem a entrada da safra 22/23. Importante observar que o atraso na comercialização antecipada da safra 22/23, os baixos prêmios nos portos e a oscilação do dólar ante o real trazem impactos negativos à rentabilidade. A colheita no Brasil atingiu 41% da área cultivada, destacando o MT com 80% e GO 43%. Enquanto no RS iniciará nos próximos dias.

O USDA divulgou a expectativa de área de plantio de soja americana, estimada em 35,41 milhões de hectares, dentro das estimativas do mercado. O órgão deverá atualizar suas projeções nos próximos relatórios com previsão de incremento de área. Ressaltamos que, os mapas meteorológicos indicam transição para El Niño a partir de julho/agosto/setembro. Na Argentina houve novo corte na estimativa de produção segundo a Bolsa de Cereales de Buenos Aires, ficando em torno de 33,50 milhões de toneladas. Em seu último boletim houve piora das condições das lavouras, onde 60% da área cultivada está em condições ruins, 37% regular e apenas 3% em condições boas e excelentes.

De acordo com o INMET, para o início de março, estão previstas chuvas próximas a normalidade para a maioria dos estados do país, com exceção do Oeste de SP e PR e a região Leste do MS.

Para o produtor ter maior previsibilidade em seu fluxo de caixa, garantir sua margem de lucro e minimizar a exposição às oscilações dos preços, o BB disponibiliza as Opções Agro e o Termo de Moedas (NDF). Conte sempre com a assessoria especializada em agronegócios e com toda a equipe do Banco do Brasil. Fica a dica de crédito consciente e sustentável. Até a próxima!